Quarta-feira, 31 de Maio de 2006
Maria de Lurdes - classificação insuficiente

Este governo de matriz socrática definitivamente arvorou-se em Robin dos tempos modernos: roubar aos incompetentes para dar aos competentes. Incontestável justiça premiar a competência, mas reconhecê-la através de critérios de fiabilidade inatacável será um problema num país que fez da cunha uma instituição.

Maria de Lurdes Rodrigues, discípula desta vertigem robinesca do governo, responsabilizou recentemente os professores pelo insucesso escolar e a falta de qualificação dos alunos, criticou o funcionamento dos estabelecimentos de ensino e atacou com a revisão do estatuto da carreira docente.

Maria de Lurdes acredita piamente que a incompetência grosseira dos professores do nosso país envergonha o país e o governo.Também acredita que os bombeiros são responsáveis pelos hectares destruídos por incêndios. Os alunos são vítimas de vampiros docentes que sugam o precioso orçamento do ministério da educação, nada oferecendo em troca. Portanto, Maria de Lurdes e o seu séquito não pactuam com as infindáveis regalias dos professores. Há que distinguir o trigo do joio - criar professores moldados por Maria de Lurdes que sejam referência para os outros docentes e que combatam o insucesso escolar.

ZD arrisca uma solução menos complexa: o professor como presença simbólica no processo de aprendizagem, decidindo o aluno, após reflectir com o ponderado encarregado de educação, a respectiva progressão.



publicado por Zorro Danado às 17:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 24 de Maio de 2006
Sob o signo do lodo

Nada move ZD contra o Carrilho. No entanto, muito antes das queixinhas  do Carrilho, houve quem, sem oportunismo e com legitimidade, descobrisse levemente esta ferida que é a promiscuidade entre os poderes económico e político e a comunicação social.

Sob o Signo da Verdade não é a pedrada no charco do mau jornalismo e não existiria se o autor fosse hoje Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, ou se a comunicação social tivesse desviado a atenção de um vídeo de propaganda política de mau gosto e um percurso na campanha recheado de incoerências (como apontou JPP - ora não apertava a mão ao Carmona, ora apertava). Este livro não remove o lodo deste universo de troca de influências e de falta de ética e rigor, acrescenta lodo (o Rangel do Texas apressou-se a limpar o nome do Luís Delgado depois de o sujar precipitadamente na noite de segunda).

O problema do Carrilho é mais simples do que o problema do escrutínio da comunicação social: não se pode cuspir no prato onde também se come.



publicado por Zorro Danado às 19:27
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 23 de Maio de 2006
Carrilhão

Manuel Maria Carrilho: professor, filósofo, político executivo, deputado, comentador ácido, marido da Bárbara Guimarães, pai, capa de revistas, consumidor compulsivo de laca. Nestas infindáveis ramificações do Carrilho, resta o tronco: enamorado de si mesmo.

Sob o signo da verdade, o Carrilho afirma categoricamente que não perdeu as eleições para a Câmara Municipal de Lisboa, foi vítima de um miserável conluio. Afinal o homem que dorme com a Bárbara Guimarães não nasceu para perder, é um conquistador.

O Carrilho é um intelectual e escreveu um livro. Com o penteado impecavelmente alinhado na capa, o Carrilho tem uma missão a cumprir: rangelizar o jornalismo português, criando assim nos meios de comunicação social uma corte de admiradores (reminiscência dos bons velhos tempos de ministro da cultura), e  impedir que homens da sua estirpe voltem a ser sujeitos à humilhação da derrota.

O Carrilho lembra o Dantas, o Carrilho cheira mal.



publicado por Zorro Danado às 18:23
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 17 de Maio de 2006
Projecto de Código

ZD descobriu recentemente que completará ainda durante este ano 12 mil dias sobre o planeta Terra, antes de atingir a idade crística de 33 anos.

Os números apontados não serão suficientes para erguer um Código ZD, construir um mistério denso em torno de uma trivial existência. No entanto, fica o registo.



publicado por Zorro Danado às 16:45
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 12 de Maio de 2006
Fidel, casto?

Fidel Castro tem mais dinheiro que a rainha de Inglaterra - eis a notícia que surgiu há uns dias num vertiginoso rodapé dos noticiários televisivos.

Cuba é um poderoso magnetizador para a atenção de ZD, que em saudosos tempos vagueou por esta mítica ilha. Fidel Castro, símbolo de uma utopia catastrófica, é estranhamente comparado com a rainha de Inglaterra (a única semelhança que ocorre é o facto de ambos viverem numa ilha).

A pseudo-inocência comunista tentou manter uma neblina à volta deste ditador que permitisse ver o resistente, o combatente, e não o demagogo, o agressor de elementares direitos humanos, o homem que tem mais dinheiro que a rainha de Inglaterra.

De Cuba permanece a saudade da areia da praia, da água cristalina, das folhas de tabaco a secar, da simplicidade das pessoas, da degradação dos edifícios, dos muros pintados: Liberdade ou morte!



publicado por Zorro Danado às 17:26
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 5 de Maio de 2006
As potencialidades dos nomes que designam animais

Numa sexta-feira intermitente, ZD inicia um espaço de reflexão linguística (afinal os blogs serão a possibilidade de sobrevivência da nossa língua tão maltratada neste info-universo). Futuras questões que surjam serão encaminhadas para a patrona do bem falar e bem escrever: Mrs. Edith Star. Segue-se o primeiro (e provavelmente único) capítulo.

- És uma vaca!

- E tu, um jumento!

- Desaparece, baleia!

- És um porco!

Houve um tempo em que os animais eram venerados, protagonistas de fábulas, sinal de abundância. Hoje os nomes que os designam não são mais do que uma espécie de jargão difamatório. Vejam a diferença:

- És uma promíscua!

- E tu, um ingénuo!

- Desaparece, obesa!

- És um misógino!

E comparem a expressividade.



publicado por Zorro Danado às 18:48
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 3 de Maio de 2006
O dia que deveria durar pelo menos uma semana

O dia do Trabalhador, eis um feriado que se justifica, ZD ousa mesmo sugerir que uma semana também se justificaria.

Curiosamente o Trabalhador - escravo do capitalismo, das ditaduras, dos fundamentalismos - não festeja o seu dia, não aproveita para dormir até mais tarde, almoçar com a família, passear, cultivar a ociosidade reprimida. O Trabalhador sai para a rua  e protesta. Não reivindica melhores condições de trabalho, melhor remuneração, reconhecimento do seu valor social. O Trabalhador sai para a rua e integra manifestações organizadas não sabe bem por quem. Incapaz de se reconhecer indivíduo, marcha e segue as instruções do homem do megafone e chega ao final do dia do Trabalhador cansado de mais uma jornada que se esgota.



publicado por Zorro Danado às 21:03
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


posts recentes

PJ emergiu «to bring us h...

Prince - «Some say a man ...

Colheita de 2015 - I

Sacrifício, garantias, ca...

Colheita de 2014 (apêndic...

Colheita de 2014 (uma som...

A chuva, um homem saudáve...

Brasil 2014 - notas mais ...

2 breves notas (ainda a r...

As diferenças que permite...

arquivos

Junho 2016

Abril 2016

Dezembro 2015

Junho 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Dezembro 2013

Julho 2013

Maio 2013

Março 2013

Dezembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

blogs SAPO
subscrever feeds